Faça parte dessa rede internacional

Pós-Doutorado na Alemanha

Alexander von Humboldt foi um pesquisador que lutava pela liberdade das idéias. Logo apos sua morte, seus amigos criaram em 1860, em Berlim a fundação com seu nome. O objetivo era usar a ciência e as trocas internacionais, com o mesmo espírito de seu patrono, superar barreiras e promover a paz. Depois de muitos altos e baixos, a fundação foi reconstituída em 1 de Abril de 1953, em Bonn, na época, capital da Alemanha Ocidental, retomando  sua missão anterior e mantendo-a até o presente.

A Fundação Alexander von Humboldt é uma organização neutra, sem fins lucrativos, instituída pela República Federal da Alemanha para a promoção do intercâmbio científico. A Fundação concede bolsas e prêmios de pesquisa a cientistas altamente qualificados de todos os países e em todas as áreas do conhecimento. Ser Humboldeano é algo muito especial, esses pesquisadores tem  excelente reputação.

A Fundação patrocina pessoas e não projetos. O indivíduo é selecionado pelo seu potencial acadêmico, dando assim total liberdade ao pesquisador.Ele mesmo deve escolher seu professor anfitrião. Essa postura fez com que a Fundação criasse uma extensa rede de relacionamentos entre a Alemanha e outros países.

Mais de 23.000 cientistas de mais de 130 países pertencem à família humboldeana, em diversos estágios de suas carreiras e nas mais variadas áreas de atividade. No período de 2003 a 2007, 41% dos bolsistas vieram da Europa, 34% da Ásia, 13% da America do Norte, 5% da America Central e do Sul, 5% da África e 2% da Austrália. (Fig. 1 ) Suas bolsas, durante esse período foram distribuídas em 66% para ciências naturais, 23% humanas e sociais e 11% para engenharia. ( Fig. 2 ).

//


Atualmente, o apoio providenciado pela Humboldt-Stiftung destina-se a cientistas estrangeiros, na sua maioria jovens estagiários ou doutorandos em instituições alemãs, de qualquer especialidade. Na Alemanha as pesquisas são feitas em universidades e instituições  de alto nível do tipo das Sociedades Max Planck, Fraunhofer Gesellschaft e Associações Helmholtz e Leibniz.

Fazem parte da família humboldeana cientistas de vulto internacional, tais como os ex-presidentes :  Nobel de Física Werner Heisenberg (1953–1975);  Nobel de Medicina Feodor Lynen (1975–1979);  Nobel de Física Wolfgang Paul (1979–1989); o eminente físico Reimar Lüst (1989–1999); e o especialista em Literatura Wolfgang Frühwald (1999 - 2008).

Sócios e Fundadores

A Alexander von Humboldt Foundation é financiada principalmente pelos Ministérios da Alemanha, sendo 55% do  Ministério  das Relações Exteriores        (  Auswärtiget Amt) , 36% do Ministério da Educação e Pesquisa (Rumisterwin fur wirtschaftliche Zusammenarbeit und Entwicklung) e 6% do Ministério da Economia  (Bundesministerium für Bildung und Forschung), assim como  por outros órgãos. Participam igualmente da parte alemã a Fundação Volkswagen e internacional a American Friends of the Alexander von Humboldt Foundation, Japan Society for the Promotion of Science, National Academy of Sciences, National Academy of Engineering, American Philosophical Society, The Royal Society, Chinese Academy of Sciences.

Biografia de Alexander von Humboldt

/

Friedrich Heinrich Alexander von Humboldt (14 de setembro de 1769, Berlim — 6 de maio de 1859, Berlim), mais conhecido como Alexander von Humboldt, foi geógrafo, filósofo, historiador, explorador e naturalista alemão nascido em Berlim, deu início, em fins do século, a memoráveis expedições sendo considerado o fundador da moderna geografia física. Veio de uma nobre e rica família prussiana, irmão do lingüista e político Karl Wilhelm von Humboldt, era herdeiro de grande fortuna e sentia-se atraído, desde jovem, pelas expedições científicas.

A partir dos vinte anos começou a viajar pelo mundo, notadamente Europa e América, Tibete e Himalaia. Explorador e profundo conhecedor da América, ele e Georges Leclerc, conde de Buffon, desembarcaram na Venezuela e viajaram pelo rios Amazonas, Orinoco, Atabapo e Negro, em busca de um rio que ligasse as bacias do Amazonas e do Orenoco. Foi impedido de prosseguir viagem pelo território brasileiro por ordem do governo português.

/


Em outra viagem à América escalou o Chimborazo (6.267m) para estudar a atmosfera, percorreu Cuba, Colômbia, Equador, Peru, México e viajou pelos Estados Unidos, onde fez análises geológicas das costas do Pacífico. Depois de percorrer cerca de 65.000km e recolher mais de sessenta mil espécies de plantas, voltou à Europa com esse rico material que estudaria pelo resto da vida, dando inestimável contribuição para o desenvolvimento das ciências naturais. Iniciou a publicação da colossal obra “Voyage de Humboldt et Bonpland aux régions équinoxiales du nouveau continent, fait en 1799-1804 (1805-1834)", em trinta volumes. Outra grande obra sua foi  “Kosmos, Entwurf einer physischen Weltbeschreibung (1845-1862), em cinco volumes, concluídos aos 86 anos do autor e síntese de seus conhecimentos.

Gastou a maior parte da fortuna que herdou nas  viagens e na publicação de suas obras. Foi o primeiro a empregar isotermas para representar regiões de temperaturas iguais, a demonstrar a diminuição de intensidade magnética do pólo ao equador e a situar o equador magnético no Peru. Em sua época, foi um dos maiores pesquisadores das camadas da terra, do vulcanismo e das correntes marítimas, entre as quais a que ganhou seu nome.

Seus estudos sobre a distribuição das plantas e a descrição de novos animais, foram fundamentais para o desenvolvimento desde a fitogeografia à zoologia e às ciências humanas, além dos estudos arqueológicos, históricos e etnográficos sobre o continente americano. Juntamente com Bonpland, denominou a floresta amazônica de hiléia. Realizou também trabalhos sobre combinação de gases e sobre correntes elétricas com Gay-Lussac e foi o grande protetor do revolucionário químico Liebig. Deixou muitos outros escritos quando morreu em Berlim, com a avançada idade de 90 anos.

 PROGRAMAS DE FOMENTO

1- Bolsa para Jovens Pesquisadores estrangeiros de qualquer pais e qualquer área

        www.humboldt-foundation.de/en/programme/stip_aus/stp.htm


  • Doutorado ou qualificação acadêmica equivalente.

  • Limite de idade: 40 anos.

  • Experiência em pesquisa comprovada pela publicação, de preferência em revista reconhecida internacionalmente

  • Projeto de pesquisa aceito pelo anfitrião

  • Proficiência na língua a ser utilizada ( alemão só é pré-requisito na área de humanas e ciências sociais )

  • Estágio de pesquisa na Alemanha por um período de 6 a 12 meses com possibilidade de prorrogação até um total de, no máximo, 24 meses, em  Universidade ou Instituição de Pesquisa alemã.

  • A solicitação de bolsa pode ser apresentada a qualquer momento (fluxo contínuo). Duração da avaliação: de 3 a 6 meses aproximadamente.

  • Mensalidade entre €2.250 e €2.450, subsídio familiar, cursos de alemão. Possibilidade de bolsas parciais em outros países da Europa.

2- Bolsa Geeorg Forster para pesquisadores de países em desenvolvimento

                         www.humboldt-foundation.de/en/programme/stip_aus/gf.htm


  • Pesquisadores altamente qualificados de países em desenvolvimento (a lista dos países elegíveis encontra-se no site supra mencionado).

  • Doutorado ou qualificação acadêmica equivalentes,há menos de 12 anos

  • Vinculação acadêmica, no mínimo como professor assistente, em país em desenvolvimento.

  • Limite de idade: 45 anos.

  • Estágio de pesquisa na Alemanha por um período de 6 a 12 meses, com possibilidade de prorrogação até um total de, no máximo 24 meses.

  • Escolha de um projeto de pesquisa próprio, de relevância para a      política de desenvolvimento, cuja execução na Alemanha possibilite a transferência de conhecimento e tecnologia aos países em desenvolvimento ou emergentes em Universidade ou Instituição de Pesquisa alemã.

  • A solicitação de bolsa pode ser apresentada a qualquer momento (fluxo contínuo). Duração da avaliação: de 3 a 6 meses aproximadamente.

  • Mensalidade entre €2.100 e €3.000, custos de viagem, subsídio familiar, cursos de alemão. Possibilidade de bolsas parciais em outros países da Europa.

3- Possibilidade de fomento para ex-bolsista

                     www.humboldt-foundation.de/en/programme/betreuung.htm
         Possibilidades de apoio para:


  • Novos estágios de pesquisa na Alemanha;

  • Participação ativa em congressos científicos na Alemanha;

  • Projetos de cooperação de longa duração com pesquisadores alemães;

  • Doação de publicações e equipamentos para ex-bolsistas de países em desenvolvimento ou emergentes;

  • Financiamento de visitas de pesquisadores alemães;

  • Participação em Congressos da Fundação Humboldt

  • Organização de conferências científicas para ex-Humboldeanos.

 

 

Prof. Dra. Marisa Campos Moraes Amato

Livre Docente de Cardiologia pela Universidade de São Paulo

Presidente do Club Humboldt do Brasil
www.humboldtbrasil.org

Português, Brasil